quarta-feira, dezembro 03, 2008

West Side Story – o elenco


Claro que se impunha um post dedicado ao elenco maravilhoso deste grandioso Amor Sem Barreiras. Aproveito ainda para deixar alguns agradecimentos especiais.
Preparem-se para ler, se é que têm paciência de ler tudo o que se segue. ;)
Ora então o que dizer da Maria? Vi-a ser deslumbrantemente interpretada pela Bárbara Barradas, e ela está isso mesmo, um autêntico deslumbro. Tem uma presença muito fresca, talvez não tenha um ar tão inocente quanto a Natalie Wood nos transmitiu, mas a Bárbara canta muito mais que a Natalie (que viu a sua voz dobrada no filme!). Ela é encantadora e é só fazer vibrar as cordas vocais que ficamos colados à cadeira. Que potência!
O Tony, que o Rui Andrade tão gentilmente vestiu a pele, é mais uma figura enternecedora em palco. Tal como a Bárbara, tem uma voz de arrepiar um calhau. Como é possível, 2 jovens como eles, na flor da idade, terem já aquele aparelho vocal? Asfixiante, no sentido em que ficamos mesmo de respiração cortada ao ouvi-los. E a química que eles têm? Aquela cena mais íntima arrepia os cabelos e dá um friozinho (as tais borboletas) na barriga. Confesso que gostei mais de ver o Rui que o Richard Beymer no filme.
A Anita, que para mim será sempre a personagem principal feminina, foi interpretada pela Anabela que já nos habituou a ser sempre exemplar em tudo o que faz, ou não fosse sempre uma das grandes apostas do mestre. Nela (Anita) tenho a destacar o seu ar confiante, e as suas roupas que lhe assentam sempre tão maravilhosamente. A voz, essa já todos conhecemos, sempre no tom, sempre de fazer parar o trânsito (apesar do trânsito nunca ter parado no alto da ponte!), sempre a sua doce voz. Um papel que lhe assenta muito bem, e mesmo com a sua cara de menina, vestida na Anita, ela deixa se ser essa menina, e passa a ser a mulher que lhe é exigido ser. Dança tão bem quanto canta e conjugando as 2 qualidades fica aquilo que se viu, perfeita!
O Bernardo, o grande Pedro Bargado (preciso pagar direitos de autor, Su?) que consegui finalmente ver em palco. Estava mais do que ansiosa para o ver, para o ouvir, para sentir todo aquele carisma em palco. E digo que em nada, mesmo nada ficou aquém das minhas expectativas. Sedutor, encantador, conflituoso, cheio de ódio, mas ao mesmo tempo cheio de amor para distribuir pela irmã (a Maria) e pelo seu grande amor (a Anita). A voz, a sua voz sublime, já a conhecia das suas excelentes músicas, mas unir a voz à sua representação tão forte, à sua arte de dançar, e a todo o figurino que são as suas vestes, é algo que não consigo descrever por palavras. Há que ir ver e conferir pessoalmente. Da próxima vez, vamos cobrar os nossos beijinhos, Pedro, vais ver! ;)
O politicamente incorrecto Tenente Schrank era uma das personagens que eu mais ansiava ver. O sr. Carlos Quintas é um dos actores portugueses que mais admiro no panorama do teatro. É um actor formidável, muito versátil, qualquer papel nele parece ganhar uma nova vida e é também muito carismático. No final da peça deu-nos o prazer de o cumprimentarmos e felicitá-lo pelo seu papel, que apesar de ser muito curto (para o meu gosto) é marcante. Obrigada, sr. Quintas!
Snowboy é a personagem de Sérgio Lucas, o merecedor vencedor de uma das edições de Ídolos. Sempre gostei imenso da sua voz, e já no papel do apóstolo Simão em Jesus Cristo Superstar adorei vê-lo. Este seu Snowboy é um dos elementos do gang Jactos. O Sérgio tem uma música aqui na peça, a “Cool” no original, que penso tenha ficado “Calma” em português, que resultou muito bem no filme, mas penso que tenha resultado melhor ainda no Politeama. Nesta altura entraram no palco 2 motos que penso serem Harley Davidson, todas polidinhas e lindas, lindas!!!! Adorei mesmo esta cena e com o Sérgio a liderá-la, muito melhor.
Tenho ainda de destacar o papel, pequeno é verdade, do David Ventura, um dos nossos Cristos em Jesus Cristo Superstar. Aqui no papel cómico de Glad Hand, onde interpreta o coordenador do baile onde Maria e Tony se conhecem. É um homem muito inseguro e que gagueja a torto e a direito. Só posso dar os meus parabéns ao David pela sua excelente interpretação. Pena mesmo que não tenhamos ouvido os seus dotes vocais e que ele mostrou serem grandes dotes no seu anterior papel.
Refiro, também, a personagem que o Tiago Diogo fez, o líder dos Jactos, Riff, que é protagonista a par com o Bernardo, de uma das cenas mais intensas de todo o musical. Vê-los “debaterem-se” ao longo da peça, é algo muito forte.
Não, claro que não me esqueci do Action, do meu querido Ruben Varela. Ele (Ruben) é um dos grandes culpados por me ter tornado uma apreciadora incontrolável de musicais. Posso não ser totalmente isenta desta opinião, mas de qualquer forma vou opinar. O Action é, para mim, a personagem mais cómica de todo o musical. Ele é um personagem revoltado, conflituoso, e sempre pronto para a… PORRADA!!!!!!!! De partir a rir quando ele faz cara de mau e quer partir tudo o que se mexa. Tudo nele é cómico (e espero que não me leves a mal o que vou dizer, pois tudo tem a ver com a tua personagem), a sua expressão de mauzão (que chega mesmo a meter medo), as suas roupinhas que são muito catitas, cheias de cor, fatinhos azul “pitróil” e cor de grão (Papiro as expressões são tuas e eu acho que nada melhor poderá descrever o figurino!!!), os ténis e os jeans azuis escuros com virola que lhe assentam tão bem, aquela camisa com um grande J de Jactos, a sua pulseira de couro também com o famoso J, as suas intervenções sempre com voz de raiva e ódio… Simplesmente, fe-no-me-nal!!!
Não sei se foi impressão nossa, mas numa parte em que o Tenente Schrank insulta a mãe do Action, ele revolta-se de tal maneira que é agarrado pelos colegas, aí pareceu-nos que o Ruben teve de se retrair um pouquinho, pois os restantes Jactos não o conseguiram segurar devidamente. Não é fácil travar o Ruben, mesmo em cima do palco, está visto!
A ti, Ruben, te dirijo umas palavras especiais. És um grandioso actor (e não me refiro à tua altura, ouviste?!?!), és um brilhante cantor, e agora provaste que também sabes assobiar, estalar os dedos, saltar e dançar sublimemente. Todo o cansaço (físico) acumulado, todo o teu esforço, todos os quilinhos que se foram, todo o teu suor e empenho estão ali espelhados no teu magnífico Action. Ainda bem que não és nenhum Sansão, cuja força está no cabelo comprido. Mudaste de visual (cortaste o cabelo) mas a tua garra continua. :)
Obrigada por nos transportares para outra dimensão quando estás em palco. Obrigada por todo o teu carinho. Obrigada por nos teres “aturado” e por nos continuares a “aturar”. Obrigada pelo “chat” que nem mesmo o frio conseguiu arrefecer. Muito obrigada por tudo. E já sabes, tens aqui uma admiradora que nunca te esquece. Desejo que alcances todo o sucesso que mereces.
Espero que depois do que te disse, não me ofereças também PORRADA!!!!
Felicitações a toda a equipa de artistas que participa nesta mega produção que não pode ficar nada atrás das realizadas lá fora.
O mestre La Féria tem mais esta aposta ganha.
Todos ao Politeama!!! Eu vou regressar, muito em breve.

8 notas celestiais

Dina disse...

Aiiiiii, que ao ler o teu texto deu uma vontade enorme de lá voltar mais cedo!!!!

Ainda por cima nestas noites tão frias que eles precisam dos nossos aplausos, do calor do público (estava uma velha ao pé de mim na estreia que não bateu nem uma palma. Estive mesmo para lhe bater eu ou então fazer como o Ruben para o Cristo: Vou-te à tromba!!!!)

Delirante este Action. TEN POINTS para ele, para o Bernardo e o Riff!!
TEN POINTS para o Ricardo e a Cátia!!

Vamonos Chicas?? Let's Mambo!!

Estrela disse...

Estela,
Estive a ler o teu texto e de facto por momentos fui transportada para o este grandioso musical. De facto todas as palavras que dirigiste ao Ruben são não só merecidas como também elas fe-no-me-nais. Obrigada pelo teu carinho; obrigada pelas tuas palavras; pelo teu apoio; pela maneira como positiva com que apoias o Ruben... sei lá... Olha, fiquei sem palavras... Como é lógico, e espero que não te importes, vou colocar o teu comentário no blog que dediquei ao Ruben, porque as tuas palavras não podem fica por aqui...
Um grande beijo e tudo de bom para ti

GK disse...

Mas que vida tão cultural!!!
;)

JPT disse...

Vi o filme há cerca de 15 anos e adorei. se o musical tiver a mesma qualidade...

The Star disse...

Dina, o Ruben ora dá o beijo da traição ao Cristo, ora lhe oferece porrada. As relações daqueles 2 não são lá muito saudáveis, eheheheh!!!
Realmente, dá mesmo vontade de lá estar todas as noites para os aplaudir, eles merecem todo o apoio.
Eu até diria 10 points para o elenco completo… o Bernardo, o Riff, o Tony, a Anita, a Maria, que personagens tão marcantes, tão completas, tão arrebatadoras.
Quero muito ver o Ricardo, a Cátia e a Lúcia… mas não me importo nada de repetir a dose com o Rui, a Bárbara e a Anabela. ;)
E finalmente consegui ver a garra do Pedro no palco. Aquele homem tem um fogo!!!

Estrela, as palavras muitas vezes nos faltam por parecerem minúsculas. Foi com alguma dificuldade que articulei estas frases, porque as palavras estavam depositadas no coração, mas teimavam em sair.
Fenomenal é todo o apoio que se tem gerado em torno do Ruben e do restante elenco. Tudo o que leio, tudo o que ouço congratula este grande musical e já li que está ao nível dos melhores musicais feitos lá fora. O mérito? É do grande mestre La Féria e de todo o elenco que todos os dias dá o seu melhor.
Espero conseguir ir vê-lo muitas mais vezes.

GK, hoje em dia quase que vivo para a cultura. E não me vou ficar por aqui. ;)

JPT, acredita que o musical faz jus ao filme. Eu vi-o há poucas semanas e tendo tudo muito vivo na memória só posso felicitar a qualidade do musical. ;)

Se tiverem oportunidade, vão ver. Se não, façam para ter essa oportunidade. Depois agradeçam-me a sugestão. :p

Beijinhos a todos vós.

Anónimo disse...

Vai ver com o Ricardo e a Cátia. Comparando os dois Tonys, ele tem mais "voz de arrepiar um calhau" do que o Rui. E surpreende muito vê-lo naquele papel! A Cátia é uma Maria linda! Pequenina, com cara de menina, sorriso magnífico e voz magnífica!

Pisces Girl disse...

Eu gosto muito dos musicais do mestre La Féria, por isso, espero ter oportunidade de ir ver este. ;o)

O último que eu vi foi "Um Violino no Telhado" no Teatro Tivoli...

Um beijinho grande e até ao meu regresso,

Pisces Girl.

The Star disse...

Irei ver muito mais vezes o musical, pelo que com toda a certeza vou ver o Ricardo, a Cátia e a Lúcia. E aliás, quero mesmo muito vê-los aos 3, mas o mérito do Rui Andrade ao interpretar e cantar tão bem o Tony, esse ninguém lho tira. ;)

Pisces Girl, acho que querias dizer que viste o Violino no Telhado no Teatro Rivoli no Porto. ;)
É que eu ando ansiosa para ver esse musical, com os excelentes Bruno Galvão e Ruben Madureira, mas como está no Porto, ainda não tive oportunidade. Espero, muito brevemente, conseguir ir vê-lo.
E se gostas dos musicais do mestre, não podes perder este West Side Story, de forma alguma. Está lindooooooooooooo!!!
Boa viagem para ti. Trás muitas notícias de lá. ;)
Beijinhos.

8 notas celestiais