segunda-feira, outubro 27, 2008

West Side Story – Amor Sem Barreiras (o filme)


Andei seriamente a adiar o visionamento deste grande clássico da 7ª arte, tudo porque não queria defraudar a expectativa que tenho quanto à história a ser adaptada no novo musical de Filipe La Féria.
Agora acho que não o deveria ter visto… só agora!!! Já o deveria ter visto à muito mais tempo, mesmo sem qualquer outro tipo de pretexto.
Fiquei completamente arrebatada pela intensidade de história de amor do casal protagonista, um Romeu e Julieta adaptado aos tempos modernos (ainda que o musical date de finais dos anos 50 e o filme seja de 1961).
O filme, que foi adaptado do musical, é hoje considerado como o musical dos musicais, é um recordista de Óscares, conseguindo arrecadar 10 dos 11 para os quais estava nomeado, incluindo melhor filme e realização do ano. Não é sempre que consigo concordar com os prémios atribuídos pela Academia, mas desta vez, penso que o filme mereça todos os Óscares que levou para casa.
Fiquei foi desiludida ao perceber que nem todas as músicas foram cantadas pelos próprios actores. Adorei as músicas e a voz da Maria e estava convencida que teria sido a própria Natalie Wood a dar-lhes voz, mas parece que não foi.
A história é baseada na tragédia de Shakespeare, mas no caso de West Side Story, os Capolettos e os Montecchios, foram substituídos pelos porto-riquenhos e pelos americanos, 2 gangs rivais (Sharks e Jets, respectivamente) que “lutam” pela conquista do seu espaço no “west side” da cidade de Manhattan. Maria, uma porto-riquenha acabada de chegar do seu país natal e Tony, o antigo líder dos Sharks, conhecem-se num baile e logo aí nasce uma paixão que é tão arrebatadora, quanto perigosa. O irmão de Maria, Bernardo, é o líder dos Sharks e não permite que os 2 se amem.
Todo o filme é sublime, não só pela forma como estes 2 se encaram e se amam, mas também, na forma como a história nos é apresentada. Dois grupos rivais que não se suportam, onde há rixas e muitos insultos, mas onde praticamente não existe violência física. É incrível como pela simples música, o estalar dos dedos ritmada ou os assobios sincronizados, se consegue dar o tom de dramatismo suficiente para nos fazer crer que as cenas são o mais realistas possíveis. Hoje em dia, seria impensável termos um filme que retrata a vida entre rivais sem qualquer tipo de violência expressa.
Toda a envolvente foi gravada em plena Manhattan, em espaços que hoje em dia já não existem, que simbolizam os bairros mais pobres da ilha.
O filme é uma grande metáfora sobre a sociedade americana, que na sua altura era muito actual, mas que continua a sê-lo nos dias que correm, qual Gangs of New York.
O que mais dizer sobre uma obra-prima que espero ansiosamente ver adaptada a um musical português? Digo que, agora é que não perco por nada deste mundo, essa adaptação!!! Até porque me parece que vamos ser surpreendidos, que mais não seja, pela caracterização de alguns dos actores/cantores. Um Action com mais um metro de altura que o original? Um Bernardo loiro e de olhos azuis? Ou estamos perante uma adaptação muito peculiar, ou então me parece que aqui há gato.
E Novembro que nunca mais chega!!!

Ficha Técnica
Título português: Amor Sem Barreiras
Título original: West Side Story
Realizadores: Jerome Robbins, Robert Wise
Descrição: Recolhendo um total de 10 Oscares da Academia - incluindo o de Melhor Filme de 1961 - Amor Sem Barreiras (West Side Story) marca um brilhante standard para filmes musicais que continua sem ser ultrapassado até hoje. Realizado por Robert Wise e Jerome Robbins, a partir do espectacular argumento de Ernest Lehman, o filme combina a inesquecível banda sonora (Maria, America, Somewhere, Tonight) de Leonard Bernstein e Stephen Sondheim com a coreografia exuberante de Robbins, para criar uma fusão transcendente de realismo e fantasia que para sempre será um regalo para os olhos, os ouvidos e, não esquecendo o coração.
Um triunfo em todos os níveis, este electrificante musical transporta a intemporal história de Romeu e Julieta para um fundo da Nova Iorque dos anos 50. Contando nos papeis principais com Natalie Wood, Richard Beymer, Russ Tamblyn e – vencedores dos Oscares de Melhor Actor e Actriz Secundários – Rita Moreno e George Chakiris, mantem-se "um dos filmes musicais mais populares da história" - Cine Books Motion Picture Guide.
Actores: Natalie Wood, Richard Beymer, Russ Tamblyn, Rita Moreno, George Chakiris, Simon Oakland, Ned Glass, William Bramley, Tucker Smith, Tony Mordente, David Winters, Eliot Feld, Bert Michaels, David Bean, Robert Banas
Género: Drama, Musical, Romance
Ano de Lançamento: 1961
Duração: 152 minutos
Classificação: Maiores de 16 Anos
Classificação (de 0 a 10): 9


West Side Story trailer

8 notas celestiais

Moon_Girl disse...

minha linda!
fiquei abismada com este teu resumo, está simplesmente fantástico. E Novembro que nunca mais chega...
Este cantinho está mesmo cheio de surpresas :)

beijokas
Moongirl

GK disse...

É espectacular!!!
Vi-o enrolada no meu gajo há pouco tempo. Ele é músico e não conhecia a banda sonora! (Como é que é possível?!) Tive de rectificar essa lacuna! É um GRANDE filme!
:)

susana disse...

E logo a seguir a ti fui eu ve-lo né.

E eu que não o queria ver ate ver a peça que vem ai. Felizmente abriste-me o apetite para o fazer e digo "que pena não o ter visto mais cedo", à tanto tempo que o tenho em casa e teimava em nao o ver.

Felizmente vi, chorei baba e ranho, sou uma choramingona mas so nao se emociona com esta historia quem for de pedra :P

Simplesmente adorei. Estou ansiosa por ver a adaptação do Sr. Lá Féria

The Star disse...

Moon, obrigada pelo teu comentário tão querido. Antes de chegar o tão esperado dia, vê se consegues ver o filme, vais adorar. Nem que eu tenha de tu emprestar. ;)

GK, viste o filme enrolada no teu gajo?!? Eheheh, fizeste tu muito bem, porque é um filme que ainda é melhor aproveitado quando partilhado com a nossa cara-metade.
Realmente, é um filme que é uma grande referência, é um musical fora de série, muito original. Posso afirmar que passou a ser um dos meus musicais favoritos.

Su, eu disse-te para não te influenciares por mim… foste logo “copiar-me” e ver o filme. Eu disse-te que valia a pena e tu confiaste… agora é o que se vê, mais uma paixão arrebatadora.
Já reservaste um camião de lenços de papel para levar para o Politeama? Vamos todas precisar de quilos deles, vai ser lindo, vai!!!

papiro disse...

Depois das nossas conversas e da Su ter visto o filme, obviamente que fiquei em "pulgas" e não resisti a mais um assalto à Blockbuster ;) Os testes ficaram para depois e foi sessão de cinema pela tarde fora.
Eu vou precisar de um carregamento de lenços de papel e depois fico com aquela cara horrorosa de quem esteve a chorar que nem um Madalena arrependida e fico mal nas fotografias, isso não pode ser! O Mestre podia mudar o fim só para me agradar e nesta versão não morria ninguém...

Enquanto não estreia os disparates e o reboliço continuam!

Beijinho miúda!

susana disse...

A Vania chegou a falar que tinhamos que meter cunha ao Belmiro por causa dos lenços.
O meu irmao trabalha para ele, acho que vou ter sorte hihihi

Ó Estela, eu copio-te e a Vania copia nós as duas hihi, fizeste muito bem melher. Eu tenho que voltar a ver :))))

JINHOS

The Star disse...

Papiro, lembras-te que eu agora sou a dona do Politeama? Vou já falar com o Mestre e ele que mude o final da peça, achas bem?!?! ;)
Mas acho que o filme é ainda mais arrebatador pelo rumo que a história toma.
Ora se já estou apaixonada pela história e ainda só vi o filme, quando sair das portas de Sto Antão depois de presenciar mais um sucesso, nem sei como ficarei. Vou precisar que uns meses de férias só para digerir todas as emoções!!!
Ai os testes que ficaram a narinar!! ;)
Beijinhos, linda.

Susana, tu põe lá essa cunha em funcionamento, que vamos mesmo precisar dela. Vão correr rios (tipo o Amazonas!) de lágrimas naquela plateia.
Mas parece é que nunca mais chega o dia!!!! :s

papiro disse...

TheStar
os meus testes não ficaram a narinar... a narinar fiquei eu! Que as lágrimas não deram para controlar naquele final...

Mas eu entendo que hoje estejas um bocadinho trocada :P
não te esqueças: Inspira, Expira...
Isso passa!

beijinhos linda.
Quanto mais perto, mais custa a passar.

8 notas celestiais