segunda-feira, novembro 27, 2006

007 – Casino Royale



Nem sei muito bem por onde começar. O filme imprimiu em mim tantas emoções, que nem sei o que dizer. I’m speechless.
Fui vê-lo ontem e ainda hoje estou um pouco aturdida, no bom sentido, leia-se.
Eu que sempre fui muito céptica quanto à escolha do Daniel Craig, ontem rendi-me. É bem feita, tenho de deixar de julgar as pessoas antes de tempo. :p
Como se costuma dizer, e desculpem-me a expressão, "caiu-me tudo"!!! Resume-se tudo a isso.
O Pierce Brosnan que me desculpe, porque isto é quase uma traição, mas o James Bond do Daniel é tão competente em tudo o que faz, que só posso estar muito surpreendida pela positiva. Não sei se o novo Bond é melhor ou pior que os anteriores, é tão somente… diferente.
Para começar, o prólogo do filme, a preto e branco, numa imagem um pouco desfocada, fazia prever que o filme seria diferente. Apresentou-nos um Bond poderosíssimo… um assassino, "uma bela máquina de matar" segundo as palavras do seu criador, Ian Fleming. Depois o genérico, que sempre nos habituou à música possante e às silhuetas femininas, e que é delas? Quanto à música, muito bem entregue a Chris Cornell (ex-Soundgarden e actual vocalista dos Audioslave) com a sua voz potentíssima, mas as silhuetas seriam bem diferentes, a do nosso homem, James Bond, tudo num ambiente “a la Casino”. O mote estava dado. And let the show begins!!!!
Logo a abrir uma cena de acção, uma perseguição "free running" entre o nosso agente secreto e um vilão. Cena que consegue tirar o fôlego a qualquer um. Aquele homem é tão robusto ao ponto de ser uma cena credível. Olha-se para ele e fica-se com a sensação de que ele, por si só conseguiria fazer aquela cena sem duplos ou cortes temporais. A partir daqui já eu estava ao rubro, acham que senti a falta do Pierce Brosnan (quem é esse mesmo)?
Na minha humilde opinião, ele não precisaria mais dar mais provas de que seria um excelente 007, mas não parou de me surpreender.
O filme é longo, mas nem parece que se está sentado na cadeira quase 3 horas. Ficamos sempre à espera de mais, e mais é nos apresentado, mas quando dou por mim a pensar: "É agora, é agora que vai acabar", ainda vem mais acção… Simplesmente fantástico.
Gosto de filmes que em cada cena nos surpreendem e este é um desses filmes.
Se os anteriores pecaram pela fórmula irrealista que imprimiram (embora isso faça parte do mundo de Bond), este é muito coerente e apresenta-nos um 007 duro, frio, muito sexy, mas muito humano. Um homem que tem sentimentos, que sente dor, que sangra, dá murros e leva murros em troca, um homem que fica ferido, sujo, e despenteado. Mas quando veste um smoking, lá está o charme exigido ao nosso agente. É ainda super bem disposto, as cenas cómicas continuam com um humor muito subtil, que não pensei que existisse neste filme.
O tema neste filme não são as engenhocas desenvolvidos por Q (que nem tem o prazer de aparecer) ou as explosões aparatosas, mas sim as personagens. Até a Bond Girl, excelentemente interpretada por Eva Green, é uma personagem de corpo e alma e faz parte da história, não está ali por acaso.
Se tiver de eleger a minha cena favorita, tenho de dizer que foi a cena do chuveiro, onde as nossas 2 personagens se mostram desarmadas, genuínas…
Mas a cena mais cómica talvez seja uma parte em que ele está a ser torturado, e ainda assim continua a gozar com o agressor, com aquele olhar sarcástico…
Este James Bond só tem um ponto desfavorável, o seu sotaque que podia ser mais "british". Mas isto já sou eu a ser mesquinha e picuinhas.
Para quem é fã de um bom filme de acção, com conteúdo e enfoque nas personagens sem recorrer à tecnologia, e mesmo a quem os filmes de Bond não dizem nada, vão ver o filme, que não vão dar o vosso dinheiro como perdido.

Resumindo e concluindo, temos um novo James Bond muito diferente do que estamos habituados, mas talvez o mais credível de sempre, como agente secreto.

Algumas das melhores deixas:
M: I knew it was too early to promote you.
James Bond: Well, I understand double-ohs have a very short life expectancy. So your mistake will be short-lived.

Vesper Lynd: I will be keeping my eyes on the money and off of your perfectly formed ass.
James Bond: You noticed.

Vesper Lynd: I'm the money!
James Bond: Every penny of it!

Vesper Lynd: Am I going to have a problem with you, Bond?
James Bond: No, don't worry. You're not my type.
Vesper Lynd: Smart?
James Bond: Single.

Vesper Lynd: If the only thing left of you was your smile and your little finger, you'd still be more of a man than anyone else.
James Bond: That's because you know what I can do with my little finger...

Bartender: Shaken or stirred?
James Bond: Do I look like I give a damn?

James Bond: Sorry, that last hand almost killed me.

Vesper Lynd: You're not going to let me in there. You've got your armour back on.
James Bond: I have no armour left. You've stripped it from me. Whatever is left of me – whatever I am – I'm yours.

James Bond: Bond, James Bond


Chris Cornell – You Know My Name


007 – Casino Royale Trailer



4 notas celestiais

Satri disse...

Bartender: Shaken or stirred?
James Bond Do i look like i give a damn?



LLLLLLLLLLLLLLLLOOOOOOOOOOOOOOOOLLLLLLLLL!!!!!!11111111111111111111111111

Lindo

A melhor deixa do filme sem duvida....

OMG, OMG

tenho de ir ver isso

The Star disse...

satri, essa cena é demais. É mesmo de partir o coco a rir. Mas é somente uma de muitas cenas cómicas. O filme está cheio delas. Vale mesmo muito a pena ver.
Se ainda não viste, é um filme excelente para se passar um bom bocado com a namorada ou com os amigos.
Acho que ninguém devia deixar este filme passar sem o ver no cinema. Vai por mim.
Beijinhos

PS: Já te respondi, no outro post.

- - pedro242 - - disse...

bom, eu tb já tinha ouvido falar muito bem do filme, e agora depois do teu post ainda fiquei com mais vontade em ir ver. :)
cada post teu é realmente uma caixinha de surpresas, é a descrição, as deixas, os videos, as fotos, tá tudo aí.
bjs e obrigado

The Star disse...

Nop, pedro, ainda não está tudo. Aguarda o próximo post, faltou-me falar de... depois vês.
Obrigada pela “caixinha de surpresas”. Isto do blog tem-me ajudado a dar largas à imaginação. Nem nunca pensei ter tanta criatividade, modéstia à parte!! :p
Beijocas.

4 notas celestiais