sábado, novembro 21, 2009

New Moon em antestreia (a 1ª antestreia!)


A adaptação do 2º livro da saga Twilight, New Moon, da escritora Stephenie Meyer já chegou aos ecrãs, melhor dizendo, chegará aos ecrãs dia 26 deste mês, mas antes já teve direito à 1ª antestreia e dia 25 haverá uma 2ª antestreia. Nos EUA a estreia aconteceu ontem.
Depois de muita tinta rolar sobre a febre sobre vampiros, que Stephenie lançou (ainda que inesperadamente e sem intenção), já vi o resultado deste 2º filme.
Inevitavelmente o 1º sentimento é o de que falta lá muita história, muitos pormenores, muita coisa que para quem não leu o livro pode ter ficado a marinar. Alguém percebeu o sofrimento da Bella depois da partida do Edward, aquela dor intensa (o buraco no peito) e os pesadelos consequência da ausência dele? Alguém percebeu o porquê da Bella necessitar tanto da adrenalina quando foi sempre tão terra-a-terra? Já para não falar nas história secundárias tipo o amor que Mike nutre pela Bella… Até a amizade tão próxima e crescente entre a Bella e o Jake achei que foi muito pouco explorada. Ok, um filme vê-se em 2 ou 3 horas, num livro existe o factor tempo, o autor pode divagar como bem lhe apetecer e enriquecer a narrativa a seu belo prazer. Para além dos acontecimentos terem sido despejados em rajadas, este foi o livro que menos gostei de ler dos 4 (5 se considerarmos o Midnight Sun). Acho que pode ter sido, também, isso que ainda influenciou mais a minha percepção sobre o filme, o que é certo é que não me entusiasmou tanto quanto o anterior. É verdade que nenhum dos filmes é perfeito, mas ainda assim a magia emitida pelo 1º perdeu-se um pouco neste New Moon.
Até o facto da família Cullen ter tido um papel muito secundário neste filme, me faz criticar o filme. Uma das coisas que mais me agrada nos livros é o envolvimento de todos os Cullen… aqui é quase nula, exceptuando-se a cena do aniversário e a da reunião para decidir o futuro da Bella.
Tenho a perfeita consciência que o efeito surpresa deixou de existir, simplesmente porque a história é conhecida e já se sabe como irá terminar. O Twilight teve a vantagem de ser o 1º, quando muitas pessoas não conheciam os livros e acharam original a história de amor entre uma humana e um vampiro. Isto compreende-se melhor quando se fala com um leitor dos livros antes do 1º filme ter saído. Hoje, talvez nós tenhamos a mesma percepção que ele teve quando viu o Twilight, falta de originalidade, nada foi acrescentado à história que se leu e que muito pouco explorada, onde faltou um “je ne sais quoi”, uma atmosfera ou algo mágico.
Até a banda sonora, que apesar de ter umas quantas músicas muito características e algumas (poucas!) bandas sonantes, ficou aquém da banda sonora de Twilight. Posso dizer que gosto realmente de apenas 2 ou 3 músicas e uma delas já me +e muito familiar.
Mas, nem tudo são espinhos, existe uma cena que achei muito bem conseguida. Foi a forma como foi representada a passagem do tempo ao longo dos vários meses em que Bella andou alheada do mundo… E, claro, as cenas onde o Carlisle entra… Sim, é verdade que sou suspeita… ele é a minha personagem favorita (e, ou muito me engano, continuará a ser), mas o facto é que continuo a achar que o Peter Facinelli consegue ser o meu Carlisle idealizado sem tirar nem pôr, aquela calma, aquela sensatez, toda a sua sabedoria… E a provar que o Peter é muito versátil, a cena de retrospectiva da altura em que ele (Carlisle) vivia com os Volturi, vê-se um Carlisle muito mais jovem e inocente, onde até a sua expressão facial transmite mais vulnerabilidade que o Carlisle do presente. Faltou a interacção com a Esme, que casalinho perfeito (ai se a Jennie me ouve!!!).
A caracterização de alguns dos vampiros está mais aprazível, acho que a Victoria está muitíssimo bem caracterizada, lindíssima. A Alice continua linda, apesar desta vez os olhos lhe sobressaírem demasiado. A Esme e o Carlisle estão deslumbrantes e até o Edward está, substancialmente, melhor embora muito aquém do meu imaginário. Só mesmo enquanto Edward acho que o Robert Pattinson é sexy!
Continuo a amar a serenidade de toda a acção, este amor tão arrebatador quanto o de Bella e de Edward, mas que nunca extravasa ou se torna exagerado. A forma calma e contida de todas as palavras que são, quase, sussurradas.
Do próximo filme, espero uma grande batalha entre vampiros, com os lobos a lutarem ao lado dos seus inimigos para derrotarem o “bando” da Victoria. O Peter até disse que teve aulas de preparação para as filmagens. Previsão de estreia nos EUA, 30 de Junho de 2010. Apesar deste não me ter entusiasmado tanto quanto o anterior, as expectativas para os próximos não estão em nada defraudadas.


New Moon trailer

3 notas celestiais

Clau disse...

Tens toda a razão. Quer dizer, ainda n vi o filme, mas pelas críticas que já li de quem tb já viu em ante estreias, começa-se a notar os efeitos que muita publicidade, merchandising, pressão exercem sobre as sagas cinematográficas baseadas em livros. O 1º filme está bem conseguido, muito num estilo indie, completamente fora do "sistema de Hollywood" e conseguiu transmitir toda a essencia da 1ª história. Não percebo a razão pela qual não conseguiram, os argumentistas, dar mais atenção a certos detalhes. O 2º livro é tão "grande" como o primeiro e falharem em grande parte da história é muito mau. Dizes que eles não exploraram a aproximação de Bella a Jacob? E nem sequer dá para perceber a procura de adrenalina ou estado de perigo? Isso é realmente mau, porque verifica-se mais uma vez o fenómeno Harry Potter: só quem leu os livros é que percebe a história e, supostamente, qq pessoa deveria entender o assunto; faz-me lembrar os artigos científicos: nem todas as pessoas percebem de determinado tema, mas nós, que os escrevemos, temos a obrigação de explicar tudo a essas mesmas pessoas.

The Star disse...

Como disse no post, é tudo passado muito a correr... não há espaço para pormenores que talvez fossem importantes para dar uma nova essência à acção.
1º a aproximação da Bella com o Jacob não é explorada da melhor forma. A sensação que tive foi que a Bella foi ter com ele e no momento seguinte já estava em cima da mota a "ver" o Edward.
A história até foi toda “metida” no filme, mas não nos transmite veracidade ou realismo, é um despejar de acontecimentos contínuo. Mais valia dividirem cada livro em 2 filmes, tal como vão fazer com o último livro do Harry Potter (já que o referiste!).
Mas por outro, talvez esta tenha sido somente a minha percepção. Quem não leu os livros poderá eventualmente ter apreciado o filme à sua maneira. Digo isto, porque nunca li Harry Potter e tenho gostado dos filmes, mesmo que metade da história eu não a saiba pelo facto do filme não a contar. ;)
Normalmente, um filme fica sempre aquém de um livro, não verdade?

Šaяa disse...

Eu só vi o primeiro filme e não li nenhum dos livros, mas acho que quando se lê o livro é sempre difícil gostar do filme, pois é muito complicado fazer caber um livro num filme.
Espero ver este segundo filme... mas já não deve ser no cinema.

3 notas celestiais