sábado, agosto 19, 2006

O Minho (parte I)


Hoje sim, vou-vos falar de cada um dos locais que visitei nas férias, com mais umas fotos muito loucas à mistura.

A viagem começou com uma visita, quase que por acaso, à ria de Aveiro e à foz do Rio Vouga. Andei um bocadinho perdida, já que fui dar umas 6 ou 7 vezes seguidas ao estádio de Aveiro, sem saber muito bem para onde virar.

Depois segui para o Porto, passei a ponte da Arrábida, big mistake, havia obras. Demorei um tempão para sair do Porto. Tinha almoço marcado na Póvoa do Varzim, mas 1º queria ainda visitar Vila do Conde, mas com os atrasos no Porto, tive de deixar esse passeio para mais tarde.

Sempre fui almoçar onde tinha planeado, no restaurante Chelsea (passo a publicidade) na Póvoa do Varzim. Não conhecia a tradição do Norte, mas fiquei vacinada. As pessoas lá em cima são sempre muito, mas muito bem servidas. Pedi umas costeletas de vitela, e quando vejo vir uma travessa, do tamanho da largura da mesa, cheia de carne, fiquei branca... Devem ter trazido a vitela completa, pensei eu!!! :O

Depois de ter “enfardado” à grande, tinha de fazer alguma coisa para ajudar a digestão. Fui dar uma volta pela Póvoa e por Vila do Conde. Fui ao monte de S. Félix que fica (tal como já vos disse) mesmo ao pé da Póvoa. Aqui é o ponto mais elevado da serra de Rates, tem 202m de altura. Tem-se uma vista panorâmica privilegiada, pode-se observar toda a região e comprovar a beleza marítima, campestre e urbana. No cimo do monte estão localizados vários moinhos, alguns recuperados para residências de férias, a capela de S. Félix e a estalagem com mesmo nome. Desde 05 de Setembro de 1998 que existe aí um espectacular monumento ao emigrante.

Depois fui passear pela marginal de Vila do Conde e da Póvoa do Varzim. São 10 km de marginal desde a foz do rio Ave, em Vila do Conde, às praias e à animação da Póvoa de Varzim. Os carros não têm pressa e as pessoas encontram ali espaço para passear, a pé, de bicicleta, de patins em linha, e olhar o mar. Andei por ali um pouco a pé já que tinha de esticar as pernas. Mas havia, ainda, outros locais de interesse a visitar.

Próxima paragem, Viana do Castelo. Já conhecia, porque estive lá há pouco tempo, quando fui visitar uma grande amiga. Desta vez não correu tão bem, porque não consegui encontrar-me com ela. Foi pena… :(
Assim, fui ver mais uma vez o mar, em Viana, na praia do Norte, com as suas piscinas naturais.

Depois percorri em passeio toda a avenida marginal ao longo do rio Lima. Passei na antiga doca do porto de mar onde se encontra ancorado o navio Gil Eanes, que em tempos foi um navio-hospital dos pescadores de bacalhau, e que hoje é uma Pousada da Juventude. Passei, ainda pela ponte de ferro que atravessa o rio, ponte essa que foi projectada por Eiffel. Encontra-se actualmente em obras de recuperação, já que é muito antiga.

Para usufruir de vistas surpreendentes subi ao topo do Monte de Santa Luzia (a cerca de 3 km do centro da cidade). Pode subir-se a pé, de bicicleta, de funicular ou de carro. Eu fui de “cu tremido”. Lá em cima, a vista dá origem a fotos fascinantes, para além de estar aí situada a belíssima basílica de Santa Luzia, construída no início do século passado. Dali pode avistar-se desde o estuário do rio Lima, a cidade de Viana, o mar, e em dias limpos (era o caso!!!) vê-se até Ponte de Lima, para o interior, Póvoa de Varzim para sul, e o monte de Santa Tecla já em Espanha, para norte. A Sul de Viana do Castelo, vê-se a excelente Praia do Cabedelo que é o local de eleição dos veraneantes.

Saída de Viana, segui caminho para Caminha, com o Rio Minho sempre no horizonte.
Passei, quase sem querer, em Vilar de Mouros. Nem sabia que ficava no meu caminho!!! Como são as coisas, eu de passeio pelo Minho, passo por Vilar de Mouros sem saber que lá ia parar, e precisamente no fim-de-semana do festival com mais tradição no nosso país. Ainda dizem que não há coincidências… Até consegui ver o recinto do festival, que fica lá em baixo no vale, mas achei-o pequeno, em relação ao que imaginava pelas imagens da TV. A essa hora já se ouviam alguns acordes. Deviam ser os ensaios. Nesse dia estavam programadas as actuações dos Táxi e do Iggy & The Stooges. Havia muita gente por ali, os parques de campismos estavam cheios e os de estacionamento começavam a encher.

Dali passei por Vila Nova de Cerveira. Atravessei o rio Minho em Valença do Minho para chegar a Tuy, já em Espanha. Fui a Espanha abastecer de combustível, porque será? Dizem que os galegos, quase preferiam ser portugueses a serem espanhóis, e é engraçado que ali senti-me em casa. Não parecia que estava em Espanha, até porque na bomba de gasolina estavam, praticamente, só portugueses. :p
A visita a Vigo ficou adiada, já se estava a fazer tarde e ainda havia muita estrada pela frente. Foi pena, porque tenho muita curiosidade em visitar a cidade.
Voltei a Portugal, passando novamente por Valença do Minho, já em plena Serra da Peneda. A paisagem aqui já adivinhava aquilo que me esperava no Gerês: montes e vales, muito verdes, e povoações esquecidas.

Segui depois até Ponte de Lima e cheguei a Braga.
Nesta altura tinha já percorrido mais de 600Km. Mas o cansaço era só físico, porque psicologicamente, não me podia sentir melhor. Como o cansaço físico se cura com uma boa noite de sono, no dia seguinte estava fresquinha…

(continua no próximo post…)

14 notas celestiais

Margarida disse...

caramba, até eu fiquei cansada em imgainar tanto km... ;)

beijocas e esperamos mais relatos cheios de movimento como este :)

João Silva disse...

mandas-me outra vez o codigo HTML para colocar as musicas? please!

desculpa, mas no outro dia fexei a janela do msn antes de copiar o codigo! Estupidez! eheh

The Star disse...

margarida, ficaste cansada só de ver os kms que fiz? Então imagina eu, que os fiz!!! Mas achas que eu liguei ao cansaço? Nada, estava radiante de os ter feito. Uma boa noite de sono foi o suficiente para recarregar baterias. O dia seguinte, também, foi muito intenso. Depois conto.
Beijinhos.

João, estou à espera do post, para depois poder comentar. :p

mystic disse...

Mais uma bela publicidade ao vá para fora cá dentro, sinto-me a viajar pelo nosso belo país com cada uma das tuas crónicas. Obrigada !
Bjs

The Star disse...

mystic, temos de fazer publicidade ao que é nosso, ainda mais, porque temos um país lindo para ser descoberto. É, ou não é verdade?
Beijinhos

GK disse...

Ora aí está uma voltinha muito interessante. Tudo sítios que eu já conheci e adorei! O Norte é lindo. Cerveira, então, parece uma casinha de bonecas, mas de bom gosto! :)

Bj.

The Star disse...

Eu, também, não me canso de dizer que o Norte é lindo. Tinha muita pena de não o conhecer. Até há um ano atrás nem o Porto conhecia. Desde que o conheci, que disse a mim mesma que havia de conhecer o Norte. Foi o que tentei fazer nestas férias. O Minho parece ser um mundo à parte, já que não conhecia tanto verde em Portugal. Como conheço muito bem o Alentejo, que é o completo oposto do Norte, achei muito interessante como dentro do mesmo país, tão pequenino como é o nosso, possa havia tanta diversidade.
E viva o nosso país tão rico!!!

Luigi disse...

Muitas histórias contas da tua jornada pelo norte. Sou algarvio e também fiquei fascinado quando por lá passei :)
Agora gostava de conhecer miranda do douro? já la foste? se não já é uma sugestão
fica bem

José Manuel Dias disse...

Grato por nos deixares viajar contigo, olhando a paisagem com os teus olhos.
Bjs

The Star disse...

luigi, por acaso não conheci Miranda do Douro, andei mesmo só no Minho. Vou ver se planeio uma viagem a Trás-os-Montes, que ainda não conheço nada. É uma boa sugestão a tua. Obrigada.

josé manuel dias, é um prazer fazer-vos viajar segundo a minha visão de tudo o que vi. Não só pretendo dar a conhecer às pessoas os lugares lindos que visitei, como despertar-lhes o interesse nestes lugares tão remotos, cuja mão humana ainda quase não tocou. Obrigada pela visita ao meu humilde espaço, espero que te sintas em casa, e voltes mais vezes.

Beijinhos para todos.

GK disse...

Olá, de novo.

É verdade. Temos ums país LINDO! E há tanta gente a querer fazer férias lá fora, sem conhecer este cantinho maravilhoso! Concordo com o que dizes sobre o Minho. Também fiquei deslumbrada. Mas o Alentejo com as planícies cheias de chaparros (essa árvore lindíssima!) e as suas praias discretas e maravilhosas também vale a pena! Oh, se vale!!!

Quanto à tua visita... Obrigada. Percebo a tua relutância em mudar... Apesar de adorar os imprevistos, também tenho muita dificuldade em mudar algo que faça parte da minha vida e ao qual estaja habituada... mesmo que isso me esteja a fazer mal... Suponho que é humano. A rotina é mais cómoda... Mesmo com esta carta que refiro... Se me dissessem que sim, a verdade é que não sei o que faria! Era uma mudança brutal! Mas também é verdade que não haveria motivação maior para mudar de vida. LOL

Bj grande.

The Star disse...

GK, é mesmo isso, com tanta coisa bonita cá dentro, para quê ir lá para fora? Não é que não tenha os meus destinos de sonho, e esses são sempre lá fora, mas enquanto não conhecer tudo o que há de bonito por cá, não vou querer passar sem os ver.
O Alentejo tem 2 tipos de paisagens muito diferentes, é o tom amarelo das searas a secar no Verão, isto no interior, e o azul do mar, na costa Vicentina. Confesso que conheço pouco da costa, eu conheço melhor o interior. Uma das minhas próximas viagens quero que seja pela costa Alentejana.

A mudança e a rotina, são as 2 faces da moeda, eu prefiro a 2ª. Não nos trás surpresas, sabemos com o que contar, e preparamo-nos para ela. A mudança, é o oposto. Não digo que não goste de mudar, mudar faz sempre bem. Mas a rotina traz-nos conforto. Mas se não arriscarmos e não perseguirmos os nossos sonhos corremos o risco de nunca os realizarmos.
Tu dizes que também és adversa à mudança, mas quando foste a Londres ver os Bon Jovi, aposto que não pensaste 2 vezes. Pegaste na trouxa e lá foste tu. Eu não sei se o faria. É um grande ponto a teu favor.
Agora vamos esperar para ver se a tua carta trás alguns frutos. Boa sorte!

Beijinhos.

IsaMar disse...

Olá gostei do teu cantinho.

Tens um pequeno desafio no meu blog. Aceitas?
Obrigada e até já.

The Star disse...

isamar, já aceitei o teu desafio... Tenho de arranjar um tempinho e explorar o teu blog.
Obrigada pela visita, volta sempre.
Bye.

14 notas celestiais